O Programa Adolescente Aprendiz atende o previsto na Lei 10.097/2000 e Portarias que a regulamentam.

Por determinação legal e proposta do MDCA, pretende-se oferecer condições e oportunidades aos adolescentes, em situação de vulnerabilidade pessoal e social, o acesso digno ao mundo do trabalho.

No MDCA, o programa é executado desde fevereiro de 2003. Iniciou com a admissão de dois adolescentes para prestarem sua pratica no Banco do Brasil S/A.

Mais de trezentos adolescentes já cumpriram seu contrato de aprendizagem.

O MDCA conta com a parceria de empresas estatais e do setor privado para desenvolver e custear este Programa.

Para se inscrever é necessário ter, no mínimo quatorze anos e meio, estar cursando a 8ª serie, ser oriundo de familia com renda per capita não superior a meio salário mínimo e residir em Porto Alegre.

sábado, 30 de agosto de 2014

Equipe Adolescente Aprendiz - Sábado de reunião- 30/08/2014

Suelci: Coordenadora do  Programa Adolescente Aprendiz


Vânia- Gerente do MDCA


Educadoras: Eliana, Beatriz, Carla, Jaqueline, Fabiane e Janaína


Funcionárias do MDCA

sábado, 9 de agosto de 2014

Visita à exposição de Vik Muniz

Fotos que registram a saída de campo dos aprendizes do MDCA ao Santander Cultural, dia 31 de julho de 2014, para verem a exposição do artista VIK MUNIZ. Educadores:  Beatriz, Daniel, Eliana, Fabiane e Janaina.












sexta-feira, 25 de julho de 2014

Reflexões sobre " O Mito da Caverna" e "O Lobo de Gúbio"

De cara com seus MEDOS

Enfrentar nossos medos não é algo fácil, para muitos é algo impossível.
Existem muitas histórias falando sobre como enfrentá-los, também existem aquelas histórias falando que criamos um casulo por medo de enfrentar o mundo lá fora.
Umas das histórias mais famosas é O Mito da Caverna que fala sobre como temos medo do desconhecido e que muitas vezes deixamos de fazer algo ou de ir a algum lugar por medo do que vai acontecer ou do que nos espera.
A maioria dos nossos medos é causada por traumas  e não importa qual fase da nossa vida esse trauma foi causado,  nós nunca iremos esquecer, mas podemos enfrentá-los, encarando-os de frente, e isto pode nos causar muito mais medo do que podemos imaginar. Então temos que enfrentá-los. Senão, como seremos felizes vivendo em nossos próprios mundos sem conhecer o que há realmente no mundo?

Por LARISSA DE LEON- Adolescente Aprendiz do MDCA


A parábola: O Lobo de Gúbio fala sobre  um lobo que era temido por todos na cidade.  Muitos tinham medo e andavam armados quando saiam de casa por causa do medo que tinham daquele lobo.
Certo dia, Francisco tomou coragem e foi ao encontro do lobo para tentar resolver esse problema que assombrava a cidade a tanto tempo. E o que muitos tinham medo de fazer, Francisco foi e fez: tentou interagir com o lobo, se aproximou dele de  um jeito que nunca ninguém tentara.
O lobo não atacou Francisco como muitos pensaram que iria acontecer, pelo ao contrario, Francisco andou pela praça com o lobo normalmente e todos se impressionaram com a calma que o lobo estava.
Para Francisco a fraternidade tem que ser vivida não somente entre pessoas, mas, sim, entre todas as criaturas, pois elas são obras do mesmo Criador.

Por RUDIMAR JUNIOR- Adolescente Aprendiz do MDCA